Asma e DPOC - Epidemiologia

Asma e DPOC - Epidemiologia


DisciplinaUti1.716 materiais4.847 seguidores
Pré-visualização1 página
Transcrição aula 4.1 \u2013 Asma e Doença Pulmonar 
Obstrutiva Crônica \u2013 Epidemiologia 
 
O objetivo deste vídeo é apresentar a epidemiologia da doença 
pulmonar obstrutiva crônica e da asma, expondo seus conceitos, fatores 
de risco e relevância. 
 
Começamos com uma questão: Você sabe qual a diferença entre asma e DPOC? 
Conceitua-se asma como uma doença inflamatória crônica, caracterizada por 
hiperresponsividade das vias aéreas inferiores e por limitação variável ao fluxo aéreo, 
reversível espontaneamente ou com tratamento. 
Essa doença costuma estar relacionada com alergias e atopias. Estre os fatores 
de risco para asma destacam-se história familiar, obesidade e sexo masculino durante 
a infância. 
Apresenta como principais fatores desencadeantes: os alérgenos e irritantes \u2013 
como pólen, fungos, antígenos de insetos como as baratas, ácaros e pelos de animais 
domésticos. Além de exposição à poeira domiciliar e ocupacional \u2013 como a fumaça de 
cigarro, gases e material particulado. Também podem desencadear crise as infecções 
bacterianas e virais especialmente vírus sincicial respiratório e rinovírus. Fármacos 
entre eles os anti-inflamatórios não esteroides destacando-se ácido acetilsalicílico, e os 
anti-hipertensivos como os betabloqueadores e os inibidores da enzima conversora da 
angiotensina. Alimentos com corantes como a tartrazina. Mudanças climáticas. Os 
fatores emocionais como angustia, estresse, e os hormonais como período de 
menstruação e gestação. 
A asma é a segunda causa de tosse em adultos, perdendo somente para o 
tabagismo. 
Muitas vezes a asma está associada a outras patologias como a rinossinusite, 
refluxo gastresofágico e dermatite atópica. 
A asma acomete aproximadamente 300 milhões de indivíduos em todo o 
mundo, com prevalência média anual em torno de 11,6% em crianças e 13,7% em 
adolescentes. 
O Brasil ocupa a oitava posição mundial em prevalência de asma, sendo sua 
prevalência de 20% em crianças e adolescentes. 
Na atenção primária a saúde (APS), encontra-se entre os 20 principais motivos 
de consulta, sendo considerada uma condição sensível à APS. No entanto, constitui a 
quarta causa de hospitalização pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O custo para o SUS 
foi de R$98,6 milhões em 273 mil internações ocorridas em 2007. 
A asma do exercício apresenta uma prevalência que varia entre 40 e 90% em 
pessoas com asma. 
Conceitua-se DPOC como uma doença com repercussões sistêmicas, prevenível 
e tratável, caracterizada por limitação do fluxo aéreo pulmonar, parcialmente 
reversível e geralmente progressiva. 
Entre os fatores de risco para a doença pulmonar obstrutiva crônica destacam-
se o tabagismo: que é responsável por 80 a 90% das causas determináveis da DPOC; a 
Poluição domiciliar como fumaça de lenha e querosene. Além de exposição 
ocupacional a poeiras e produtos químicos. Também Infecções respiratórias recorrente 
na infância. Suscetibilidade individual. Por outro lado, as deficiências genéticas são 
responsáveis por menos de 1% dos casos, como a deficiência de alfa1-antitripsina. 
A morbimortalidade por DPOC está se elevando em muitas regiões. 
É a quarta causa de mortalidade, com 210 milhões de óbitos, representando 
4,8% dos óbitos em todo o mundo. 
No Estudo Platino de base populacional em São Paulo, em que foram realizadas 
espirometrias na residência em 1.000 pessoas, mostrou que a prevalência de DPOC era 
de 15,6% em pessoas acima de 40 anos, correspondendo a 18% dos homens e 14% das 
mulheres e que a prevalência aumenta com a idade. 
Identificou também que 25% dos fumantes eram portadores de DPOC. Desse 
modo, estima-se que existam 7,5 milhões de pessoas com DPOC no Brasil. 
A DPOC foi responsável por 129 mil admissões no SUS em 2016, em média 6 
dias de internação. O número de óbitos por DPOC variou em torno de 33.000 mortes 
anuais de 2000 a 2005. 
A DPOC encontra-se entre a quinta e sexta das principais causas de morte no 
Brasil. 
O custo estimado por paciente por ano com DPOC é de US$ 1.522,00, quase 
três vezes o custo per capita da asma. 
 
Voltando à questão inicial: Você sabe qual a diferença entre asma 
e DPOC? 
Uma das principais diferenças está em a asma ser reversível espontaneamente 
ou com tratamento, enquanto na DPOC esta reversibilidade é parcial e a doença, 
geralmente progressiva. 
 
Referências 
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de 
Atenção Básica. Doenças respiratórias crônicas / Ministério da Saúde, Secretaria de 
Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. \u2013 Brasília : Ministério da Saúde, 
2010. 
DUNCAN BB, Schimdt MI, Giugliani ER. Medicina ambulatorial: condutas clínicas na 
atenção primária. Porto Alegre. Artes Médicas, 4ª ed., 2013. 
MENEZES, Ana Maria Baptista et al . Prevalence of chronic obstructive pulmonary 
disease and associated factors: the PLATINO Study in São Paulo, Brazil. Cad. Saúde 
Pública, Rio de Janeiro , v. 21, n. 5, p. 1565-1573, Oct. 2005